Articulações: proteger e combater as dores – Nutricionista Sofia Tomás

Articulações: proteger e combater as dores – Nutricionista Sofia Tomás
As nossas articulações, são mecanismos complexos que incluem cartilagens, ligamentos, membranas, fluídos e tecidos. O nosso corpo conta com cerca de 400 articulações que interligam as diferentes partes do corpo. A principal função das articulações é permitir mobilidade, proteção e flexibilidade, mas são também potenciais fontes de dores e limitação da qualidade de vida.
Ao longo da vida as nossas articulações são expostas a um grande desgaste causado pelo processo normal de envelhecimento, mas também pelo esforço a que estão sujeitas, como a prática de exercício físico de impacto ou de alta intensidade, atividades laborais de repetição, obesidade, sedentarismo, lesões, entre outras…
Em Portugal cerca de 3,7 milhões de pessoas afirma ter anualmente queixas associadas ao sistema articular. Mas se é um facto que a idade é um fator determinante na ocorrência de problemas articulares, não se deve assumir que é um exclusivo desta faixa etária mais avançada. Em Portugal, cerca de 43% da população com mais de 15 anos apresenta problemas nas articulações, segundo o estudo TGI da Marktest de 2019, o que demonstra que a preocupação com a saúde articular não deve ser exclusiva da população sénior.
As dores articulares podem ser causadas por inúmeros fatores, nomeadamente pelo surgimento de artrite inflamatória, em que a dor é causada por inflamação ou infeção, neste caso a dor aumenta durante a noite e a articulação normalmente está vermelha e inchada. Pode ser causada por osteoartrite, em que a dor é resultante do desgaste mecânico da cartilagem da articulação e que ocorre maioritariamente a partir dos 50 anos. No caso da osteoartrite a articulação apresenta rigidez matinal e a dor tende a diminuir à medida que a articulação se começa a mexer. E por fim podem ser causadas por lesão, decorrente de impacto ou queda.
A inflamação articular, associada a todas as causas acima enumeradas, é a principal responsável pelas dores associadas à patologia articular. O protocolo de tratamento da inflamação articular, passa na maioria das vezes pela prescrição de anti-inflamatórios farmacológicos, especialmente durante fases agudas. No entanto estes apresentam diversos efeitos secundários indesejáveis. Neste sentido o estudo de anti-inflamatórios naturais como solução para o alívio das dores, recuperação e manutenção da mobilidade e flexibilidade têm tido um grande destaque.
A curcuma é uma raiz que pertence à família das zingiberáceas. É nativa das florestas asiáticas, especialmente da Índia e as suas características nutricionais e os seus benefícios têm contribuído para a sua denominação como superalimento. A sua cor alaranjada resulta da presença de compostos fenólicos denominados curcuminóides que têm ação antioxidante. A curcumina, substância ativa presente na curcuma, demonstrou cientificamente ser benéfica na manutenção da saúde gastrointestinal, reforço do sistema imunitário, mas acima de tudo pelas suas propriedades anti-inflamatórias, que ajudam na manutenção da saúde articular. As propriedades anti-inflamatórias da curcumina, contribuem para a redução do inchaço, a dor e a rigidez matinal, melhorando a mobilidade. Alem disso pela presença de antioxidantes, a curcuma ajuda a proteger contra os danos causados pelos radicais livres, levando a uma redução dos sintomas de dor e inflamação.
A vitamina C, ou ácido ascórbico, é uma vitamina hidrossolúvel, essencial à proteção do organismo. A vitamina C, um conhecido antioxidante, contribui para a proteção das células do stress oxidativo. É uma vitamina essencial para a produção de colagénio (uma proteína importante para tendões, ligamentos, cartilagem, vasos sanguíneos, pele, etc.), uma vez que contribui para a normal formação do colagénio para uma normal função da cartilagem. A ingestão de vitamina C contribui para o normal metabolismo produtor de energia e para a redução do cansaço e fadiga. As principais fontes de vitamina C são os morangos, o kiwi, frutas cítricas, brócolos e espinafres.
A vitamina D é uma vitamina lipossolúvel, essencial para vários processos vitais do organismo. A vitamina D contribui para a manutenção de ossos normais e para a normal absorção de cálcio e fósforo, bem como contribui para níveis sanguíneos de cálcio normais e manutenção de uma função muscular normal. A principal fonte de vitamina D está na exposição solar, no entanto segundo um estudo publicado na revista científica Archives of Osteoporosis, indica que mesmo durante o Verão pouco mais de metade (56,8%) dos portugueses consegue atingir valores recomendados de vitamina D.
Outras dicas que podem ajudar no alívio das dores articulares são a aplicação de calor ou frio no local da dor. Usar uma compressa de água quente nas articulações ajuda a melhorar o fluxo sanguíneo, a relaxar os músculos e a aliviar as articulações rígidas e pode ser feita de 20 a 30 minutos, 3 vezes por dia. Estas compressas quentes devem ser usadas no caso de gota, artrite reumatoide ou osteoartrose.
Já nos casos de tendinite, contusões ou torções nas articulações, deve-se usar a aplicação de gelo, o frio ajuda a reduzir a dor, o inchaço e a inflamação nas articulações. Deve ser aplicado nas articulações doloridas, cerca de 15 minutos, para um alívio rápido da dor.
Fazer alongamentos suaves podem ajudar a manter a mobilidade e a amplitude dos movimentos, aliviando assim as dores nas articulações. O ideal é fazer alongamentos com orientação médica e com a supervisão de um fisioterapeuta que deve indicar alongamentos específicos para a articulação dolorida.


Receba todas as novidades, dicas e promoções Viterra